Loading...
  • Artrose

  • Controle da dor

  • Displasia Coxofemoral

  • Hérnia de Disco

  • Luxação Atlanto-Occipital

  • Luxação de Patela

  • Mielopatia Degenerativa

  • Obesidade

  • Ruptura do Ligamento Cruzado Cranial (RLCCr)

  • Síndrome da cauda equina

  • Tendinopatias

  • Uso cadeira de rodas

    O que é?
    Estes aparatos podem ser indicados para os animais que apresentam paralisias parciais (apenas membros posteriores) , totais ( quatro membros) ou até mesmo animais que sofreram amputações de mais de um membro e/ou precisam de auxílio para caminhar.
    Como identificar?
    A qualidade de vida do animal é o foco quando propomos a utilização de uma Cadeira de rodas. Para alcançarmos isso, é essencial que o animal seja colocado de forma correta na cadeira, sem que force os membros anteriores ou cause lesões em região de coluna cervical. O animal deve ficar posicionado de forma alinhada ( sem deslocamento da cadeira nem para baixo ,nem para cima) , e a cadeira deve ser ancorada envolvendo todo o peitoral do animal, não apenas na coluna tóraco-lombar , onde pode gerar graves lesões se estiver mau posicionada.
    Como tratar?
    A adaptação à cadeira deve ser gradual. O animal deve iniciar com 10 a 15 minutos de permanência, acrescentando 5 a 10 minutos por semana, até atingir um tempo máximo de 1 hora. Não recomendamos que o animal fique o dia todo na Cadeira de rodas, como acontece em humanos, pois a cadeira para cães é desenvolvida apenas para o passeio e exercícios do animal, e não como um substituto em tempo integral à locomoção. Deixar o animal o dia todo no aparato leva à sérias alterações de biomecânicas e lesões secundárias, dentre elas escoriações em locais de apoio, hérnia de disco em coluna cervical, piora de lesões tóraco-lombares, contraturas graves, além da fadiga muscular. Recomendamos que os animais realizem parte dos exercícios da Fisioterapia na própria Cadeira de rodas, utilizando assim o aparato como um instrumento à reabilitação
    VEJA MAIS